Balança Vs. Saúde.

Já se foi o tempo em que se dizia que uma pessoa mais gordinha tinha mais saúde, hoje isso não se aplica, uma pessoa gorda ou obesa pode ter tudo menos uma saúde perfeita além de estar fora dos padrões estéticos que a sociedade impôs.

Segundo o IBGE, em pesquisa feita em 2008 e 2009, no Brasil a obesidade atinge 12,4% dos homens e 16,9% das mulheres com mais de 20 anos, 4,0% dos homens e 5,9% das mulheres entre 10 e 19 anos e 16,6% dos meninos e 11,8% das meninas entre 5 a 9 anos.[ A obesidade aumentou entre 1989 e 1997 de 11% para 15% e se manteve razoavelmente estável desde então sendo maior no sudeste do país e menor no nordeste.Claro que esses dados não são atuais e provavelmente esse porcentual aumentou muito desde 2009 infelizmente mas comparado a outros países como EUA esses são números razoáveis.

A obesidade traz conseqüências drásticas para a saúde várias doenças são provocadas pela obesidade como problemas no Coração:Hipertensão:Trombose:Apnéia:Esteatose hepática:Depressão:Asma:Infertilidade e gravidez de risco:Neoplasia:Colesterol alto:Diabetes do tipo 2: mas infelizmente o que as pessoas levam em consideração não são os problemas de saúde causados pela obesidade e sim os padrões estéticos, infelizmente nos dias de hoje as pessoas de tamanho G ou GG ainda sofrem preconceito o que leva a jovens a  evitar a obesidade, isso seria bom se não fosse o método que elas usam pra fazer isso, deixando de comer ou provocando o vômito após as refeições e isso causa outro problema ainda maior para a saúde a Bulimia e a Anorexia.

Tanto A obesidade quanto a Bulimia e Anorexia são consideradas epidemias globais, segundo a Organização Mundial da Saúde ligada à Organização das Nações Unidas. O problema vem atingindo um número cada vez maior de pessoas em todo o mundo e entre as principais causas desse crescimento estão o modo de vida sedentário e a má alimentação no caso da obesidade, e como reeducar uma sociedade é uma missão quase impossível as autoridades da saúde apostam na conscientização de gerações futuras, para que nossas crianças tenham uma boa alimentação e crescem mais saudáveis, mas para isso elas precisam de um bom exemplo em casa por isso a população de hoje também precisa estar ciente dos males causados pela má alimentação e da alimentação abusiva que leva a obesidade além dos problemas genéticos que também influenciam para a obesidade.

Agora os problemas estéticos são um caso a parte, e o ponto onde eu queria chegar, as mulheres nunca estão satisfeitas com o seu corpo, isto é fato, porém existem algumas mulheres que , não digo que se conformaram mas sim estão mais conscientes a esse respeito e até  movem essa bandeia e defendem sua classe, a classe das mulheres G e GG, na defesa de que elas não devem se submeter aos padrões estabelecidos pela sociedade “saudável”, elas não se importam com críticas e insultos alheios, e se sentem bem consigo mesmas, algumas até lançam grifes de roupas e acessórios voltados para essa nova classe consumidora e valorizando mais e mais seus corpos que deixam alguns marmanjos de boca aberta, é uma beleza singular e quebra aquele velho conceito de mulheres de corpo escultural estilo violão, isso faz as mulheres se sentirem mais seguras e confiantes e deixam de lado as dietas malucas e gastam seu tempo não tentando emagrecer e sim ficar mais belas do que já são, procurando mais os salões de belezas, lojas de roupas e sapatos, o que também é bom para economia, pois esse mercado vem crescendo mais a cada dia ganhando adeptas em todo mundo, e ganham mais força com celebridades mundiais dando apoio a esse movimento extraordinário um exemplo são as artistas que fazem parte desse grupo como a cantora Preta Gil, que já declarou várias vezes estar mais que satisfeita com seu belo corpo, e que se acha muito gostosa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A jovem cantora britânica Adele.

 

 

 

 

 

 

 

 

E a propulsora desse movimento revolucionário a modelo brasileira ,Fluvia Lacerda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A modelo Fluvia Lacerda, de 28 anos, sempre foi gordinha, nunca considerou o seu excesso de peso um problema e, por isso, jamais fez regime. Ela também não imaginou que o seu manequim 48 seria fundamental para que fosse descoberta por uma ‘olheira’ e conquistasse o sucesso profissional como modelo.

Fluvia é uma modelo “plus size” da agência Elite nos Estados Unidos, ou seja, ela trabalha profissionalmente e estrela catálogos de marcas que produzem peças de tamanho G e GG. “Aqui no Brasil, esse segmento de modelos praticamente não existe. Lá fora, muitas agências têm modelos de tamanho 48 porque há demanda das marcas”, afirma.

 

Essa súbita fama de Fluvia, influenciou de maneira positiva ouras companheiras de manequins, esse mercado já está em alta e com várias adeptas, o que é bom para a o ego feminino, para a economia, e é claro para nós homens que desfrutamos de todo esse esforço para ficarem belas para se sentirem bem consigo mesmas, e para nos agradar é claro, pois embora elas neguem que seja para nos agradar, aqui no íntimo nós homens sabemos que é mentira.

O importante é que elas não desanimem mesmo que ainda existam criticas, elas  novamente vão se superar ,e nós nós homens só temos a ganhar com isso.

 

Exemplos de modelos Plus Size

f
Poderosas
Bem Estar é Tudo! se você sente feliz assim como você é...
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s