ENTÃO TÁ! VAMOS FALAR DE MÚSICA[O NOVO REI DO ROCK?]

por MIGUEL SOKOL

images

O curioso caso do sumiço do rock: muitos tentam, mas o verdadeiro bastião desse gênero é Josh Homme

Então, será que o rock morreu e está enterrado em trilha sonora de propaganda para sempre?

Os dois filmes da cinessérie Sherlock Holmes dirigidos por Guy Ritchie, ex-marido da Madonna, não resolveram este caso. Os seriados Elementary e Sherlock também não. E eu garanto que o já anunciado filme com o ator Ian McKellen, o Magneto da franquia X-Men, interpretando uma versão quase gagá do detetive mais famoso do mundo, também não o desvendará.

Sobrou para mim. Cachimbo na boca, uma lupa na mão e um chapéu ridículo na cabeça para solucionar um mistério eterno: o rock morreu? Dedução, indução, etc.: eu usarei todos os métodos de investigação ensinados por Holmes para saber se, de fato, o famigerado espírito do rock ainda vive em alguma grande banda deste duomilésimo décimo quarto abençoado ano de nosso senhor.

• U2: já foi uma grande banda, hoje é uma grande ONG.
• Radiohead: insistindo em colocar o talentoso guitarrista Jonny Greenwood para apertar botõezinhos enquanto Thom Yorke se lamenta, realmente não se encaixa mais na categoria de banda de rock.
• Thirty Seconds to Mars: Jared Leto é um bom ator, mas fica péssimo interpretando um roqueiro.
• Maroon 5: estamos procurando o espírito do rock em uma banda de verdade, né?
• Arcade Fire: parece mais um bloco indie de Carnaval. Se desfilasse no lugar dos Acadêmicos do Baixo Augusta, ninguém notaria a diferença.
• Muse: jogo de RPG é uma coisa, banda de rock é outra.
• Red Hot Chili Peppers:recentemente um interrogador norte-americano afirmou que uma música da banda era tocada repetidas vezes como forma de tortura na prisão de Guantánamo, em Cuba. Preciso dizer mais alguma coisa?
• Libertines: muita polêmica, pouca música.
• Guns N’ Roses: virou comercial de cerveja na Copa do Mundo.

Então, será que o rock morreu e está enterrado em trilha sonora de propaganda para sempre?

Elementar, meu caro Watson: não, a solução deste caso encontra-se no hino da coroa britânica, God Save the… Queens, Queens of the Stone Age. Já são seis discos lançados, todos ótimos, originais e diferentes entre si. Está mais do que na hora de afirmar que Josh Homme lidera a maior banda de rock em atividade neste planeta. Ele consegue reunir o Nine Inch Nails e Lindsey Buckingham, do Fleetwood Mac, no mesmo palco; Elton John e Dave Grohl no mesmo disco, colocando o líder do Foo Fighters no seu devido lugar – a bateria. Sem falar que Homme é o grande mentor do Arctic Monkeys, o homem que praticamente ressuscitou Mark Lanegan, e mais, quando alguém lhe falta com respeito, não há hesitação. Ele já mandou publicamente o todo-poderoso Jay Z e a grande instituição que é o Grammy para a p… piii.

O rock ainda está entre nós, meu caro Watson, mas seu assassino continua à solta: nós bem sabemos do que é capaz o degenerado Coronel Mostarda com a chave inglesa, no escritório, neste jogo de tabuleiro que se tornou o mercado musical.

 

TEXTO ORIGINALMENTE PUBLICADO NA REVISTA RS:

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/edicao-95/o-curioso-caso-do-sumico-do-rock

 

Por Alessandro Silva

“Bem! de fato Josh Romme é o Badass do rock and roll, mas poderia ele ser o novo rei do rock? a frente do Queens of the Stone Age, e de outros projetos, a pegada rock nunca escapa de suas mãos, lá fora ou aqui no Brasil o rock está na geladeira, aqui no Brasil nem se fala, dei graças a Deus que os Titãs e a Pitty voltaram do hiato e com um som irado, o que o rock nacional estava precisando faz tempo, os Titãs com o disco Nheengatu , e a baiana Pitty com o Sete Vidas, o Capital Inicial até tentou voltar as raízes  do rock político dos anos 80, mas não teve muito sucesso o EP Viva a Revolução não é um dos melhores da banda, mas mesmo que existam bandas que nos decepcionem, ainda haverá aqueles que nunca negarão as raízes, e mudar sua sonoridade sob influência do mercado fonográfico, existem bandas que não se vendem, e há aquelas que se alugaram, são as bandas que assinaram com as gravadoras, mas voltaram a ser independentes, como Detonautas R.C, Fresno,e muitas outras, que retornaram das cinzas, como uma fênix, e suas chamas nos incendeiam com sua música, seu ROCK.”

O rock não morreu…

E NUNCA IRÁ MORRER

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s